Campanha alerta sobre os riscos do câncer de próstata

2621

Com a chegada do penúltimo mês do ano tem início o “Novembro Azul”, campanha que visa conscientizar os homens a partir dos 40 anos de idade a realizarem os exames de rastreamento do câncer de próstata, que, se descoberto em sua fase inicial tem 90% de chances de cura, como informa o urologista Hallison Castro.

De acordo com o urologista, o câncer de próstata é o tipo de câncer mais comum entre os homens. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA), 60 mil novos casos da doença devem ser descobertos no país, 740 deles no Rio Grande do Norte.

Ele explica que os exames de rastreamento da doença são o PSA, que é o exame de sangue, e o exame de toque retal. É importante que os homens se submetam aos dois exames, pois, segundo o médico, 20% dos casos da doença não expressam alteração no PSA. A partir dos 40 anos, os exames devem ser repetidos anualmente até os 80 anos de idade. Os homens com histórico familiar de câncer de próstata devem repetir o exame a cada seis meses.

O procedimento é rápido, seguro e indolor. Apesar disso, muitos homens ainda têm receio de realizá-lo. Porém, de acordo com Hallison Castro, as campanhas e o destaque dado pela mídia à questão vêm surtindo efeito modificando a situação e hoje há homens que chegam ao consultório e, antes mesmo que o médico recomende, pede para realizar o exame. O urologista observa que, em comparação com dez anos hoje o público masculino demonstra mais preocupação com a própria saúde.

Quando o resultado do PSA ou do toque retal apresentam alteração, o paciente deve fazer o exame de confirmação da doença, que é a biópsia da próstata.

De acordo com Hallison Castro, na atualidade, a maioria dos casos é detectada em fase inicial, quando as chances de cura chegam a até 90%. Mas, infelizmente, ainda há casos em que o paciente chega com a doença em estágio avançado. Nesses casos, o principal risco é de metástase para os ossos.

Para evitar que a situação chegue a esse ponto, o médico ressalta a importância do exame e informa que na maioria dos casos de câncer o paciente não apresenta sintomas. “O tumor é silencioso”, esclarece.

Os fatores de risco para o desenvolvimento da doença são: histórico familiar, principalmente em pai ou irmão, que são parentes de primeiro grau, tabagismo, dieta rica em gordura animal, carne vermelha, embutidos e enlatados, e raça negra. Hallison Castro comenta que a Medicina ainda não sabe o porquê, mas os tumores são 1,5 vezes mais frequentes em homens negros.

Já entre os fatores que diminuem o risco da doença, ele destaca: a prática de atividades físicas regulares e uma dieta rica em vegetais, principalmente em alimentos que contenham licopeno, como o tomate, e uma alimentação rica em ômega 3, presente em algumas espécies de peixe.

Uma vez diagnosticada a doença, existem três formas de tratamento. Segundo Hallison Castro, o principal e mais indicado é a cirurgia, que promove a retirada completa da próstata com o tumor. A cirurgia pode ser feita pelo método convencional ou através da videolaparoscopia, uma técnica através da qual são realizados três pequenos furos de um centímetro, por onde entra uma câmera que permite a realização da cirurgia. É uma técnica mais moderna, cuja recuperação é mais rápida. Em outros casos a indicação é pela radioterapia. Outro tratamento possível é a bracterapia. A quimioterapia só é indicada para os casos avançados da doença, em que há metástase.

Um dos efeitos colaterais possíveis da cirurgia é a impotência sexual ou disfunção erétil, que acomete 50 dos pacientes submetidos ao procedimento. Porém, a maior parte desse percentual recupera a função sexual em até um ano após o tratamento.

Outro efeito colateral possível é a incontinência urinária, que se manifesta em cerca de 10% dos pacientes que passaram pela cirurgia, mas, na maioria dos casos, a situação também é revertida em até uma no após o tratamento.

Fonte: Gazeta do Oeste

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s