Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

dst

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) são consideradas problemas de saúde pública. Estima-se que surgem por ano mais de 340 milhões de casos em indivíduos de 15 a 49 anos. Em geral, os indivíduos de múltiplos parceiros sexuais, usuários de drogas, baixas condições socioeconômicas, que não usam o preservativo, estão mais suscetíveis à adquirir uma DST.

Entretanto, qualquer indivíduo que apresenta contato sexual com alguém infectado, mesmo que uma única vez, está sob risco de contrair alguma doença. As principais DSTs são: gonorréia, HPV, sífilis, hepatite B e C, AIDS, herpes genital, infecções por fungo, entre outras. A maioria delas apresenta um período de incubação (período que vai desde o contágio até a manifestação da doença) de 2 a 7 dias, entretanto pode levar até vários meses para se manifestar como é o caso do HPV.

O herpes se manifesta na forma de bolhas que evoluem para úlceras, associado a coceira e irritação local. O HPV surge na forma de verruga indolor na região do pênis. A gonorréia aparece na forma de corrimento ou secreção amarelada pelo canal da urina.

Na presença de qualquer sintoma ou lesão na região do pênis ou escroto, deve-se procurar um urologista para se fazer o diagnóstico correto e iniciar o tratamento. Vale ressaltar que em alguns casos é necessário também  tratar a parceira sexual. Entretanto, a medida mais importante é proteger-se usando preservativo em todas as relações sexuais. Portanto, cuide-se; a sua saúde é mais importante do que um simples prazer.

Causas da infertilidade nos homens

A função do sistema reprodutor masculino é produzir e transportar os espermatozóides. Alterações deste sistema podem reduzir a quantidade, a movimentação, a forma e a capacidade de fertilização dos espermatozóides. As principais causas que encontramos para explicar estes problemas são: varicocele, processos infecciosos, exposição a toxinas, fatores genéticos, alterações hormonais e obstrução dos ductos de transporte. Além disso, boa parte dos homens com alteração no sêmen não tem qualquer motivo identificável que a explique.

infertilidadeculturamix

A varicocele é a presença de varizes nas veias do escroto. Muitos homens têm algum grau de varicocele, mas quando este grau é importante (veias visíveis no exame clínico), resulta em aumento da temperatura e acúmulo de substâncias tóxicas nesta região, prejudicando a produção de espermatozóides. Outros sintomas são a sensação de peso e dor na região.

As infecções levam a um processo inflamatório, que pode prejudicar a produção de espermatozóides e/ou aumentar o estresse oxidativo a qual estão submetidos. Diversas toxinas podem levar ao comprometimento temporário ou definitivo da produção de espermatozóides. As principais são medicamentos usados em quimioterapia, radiação, calor ou hormônios exógenos. Alterações genéticas também pode explicar a insuficiência testicular, sendo necessário pesquisá-las quando há uma redução considerável no número de espermatozóides. Por fim, a principal causa de obstrução dos ductos transportadores é a vasectomia, ou ligadura os ductos deferentes para anticoncepção.

Fonte: Portal Minha Vida

Causas da infertilidade nas mulheres

A ovulação é o processo no qual o óvulo, armazenado dentro dos ovários, é liberado mensalmente. Mulheres que ovulam normalmente apresentam menstruações regulares, muitas vezes precedidas de sintomas pré-mentruais (conhecidos como tensão pré-menstrual ou TPM). Por outro lado, aquelas que não ovulam adequadamente, apresentam menstruações irregulares, associadas, em alguns casos, ao aumento de pelos e acne. Esta última situação é tipicamente encontrada em mulheres com a Síndrome dos Ovários Policísticos (falta de ovulação e ovários com múltiplos microcistos). Outras doenças também podem estar envolvidas, como tumores produtores de prolactina, hipotireoidismo, tumores produtores de androgênios e deficiências enzimáticas raras.

infertilidade

Além disso, a redução da quantidade e da qualidade dos óvulos também é uma causa importante de dificuldade de engravidar. Este processo está diretamente relacionado a idade, pois os óvulos, ao contrário dos espermatozóides, não se multiplicam e se esgotam. Nos dias atuais, quando a gravidez é cada vez mais postergada, este problema é extremamente importante.

Após a ovulação, o este é captado pela tuba uterina. É na tuba que ocorre a fertilização, ou seja, o encontro do espermatozóide com o óvulo. O embrião é formado e transportado até o útero. Esta etapa depende do perfeito funcionamento das tubas, órgãos extremamente delicados. As alterações tubárias podem ser evidentes, como na obstrução bilateral, ou mais sutis, como nas aderências e nas distorções. Estas alterações são secundárias a processos inflamatórios/infecciosos ou a endometriose.

No útero, ocorrerá a implantação do embrião. Os problemas mais comuns que podem afetar esta etapa são a presença de miomas, pólipos, malformações uterinas e aderências (ou sinéquias uterinas). São causas menos comuns de infertilidade.

Por fim, a endometriose é uma doença cada vez mais relevante, pois sua freqüência vem aumentando nas últimas décadas. É caracterizada pela presença de endométrio fora do útero. O endométrio é o revestimento interno do útero e local onde ocorre a implantação do embrião. Quando não há gravidez, o endométrio descama-se, ocorrendo a menstruação. O problema ocorre quando o endométrio se desenvolve em outros locais. Os órgãos onde mais encontramos estes implantes são os ovários, as tubas e o peritônio (revestimento interno do abdome), mas também podem atingir o intestino, o ureter e a bexiga. Os dois sintomas principais da endometriose são dor e infertilidade. A dor geralmente ocorre na menstruação e/ou na relação sexual.

Fonte: Portal Minha Vida

Câncer de Pênis

imagesca2nxwh4

O câncer de pênis é um tumor raro, com maior incidência em homens a partir dos 50 anos, embora possa atingir também os mais jovens. Está relacionadoàs baixas condições socioeconômicas e de instrução, à má higiene íntima e a homens que não se submeteram à circuncisão (remoção do prepúcio, pele que reveste a glande – a “cabeça” do pênis). O estreitamento do prepúcio é um fator de predisposição ao câncer peniano. Estudos científicos também sugerem a associação entre infecção pelo vírus HPV (papilomavírus humano) e o câncer de pênis.
No Brasil, esse tipo de tumor representa 2% de todos os tipos de câncer que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste.

Fonte: Instituto Nacional do Câncer

 

 

Impotência Sexual

impotencia-sexual-masculino-tratamiento

A impotência sexual é um problema que afeta muitos homens na atualidade. Estima-se que mais de 150 milhões de homens no mundo inteiro sofram de impotência sexual. A incidência deste distúrbio causa grande impacto negativo na qualidade de vida dos homens e de suas parceiras, e aumenta com a idade avançada. Um em cada quatro homens (25%) com mais de 65 anos apresentam impotência sexual.

Há dois tipos de impotência sexual. A primeira mais comum entre os jovens e adultos até 40 anos de idade, chamada psicogênica, geralmente está associada a fatores como depressão, estresse, crises conjugais e ansiedade. A segunda chamada orgânica ou física, mais comum em homens com mais de 40 anos de idade, geralmente é provocada por diabetes, pressão alta, excesso de colesterol, cigarro, uso de alguns medicamentos como os anti- hipertensivos.

Todo homem que sofra de impotência sexual deve procurar um urologista para que sejam feitos alguns exames para detectar a causa do problema. Apartir daí, começar o tratamento, que pode ser feito com medicamentos, injeções ou prótese peniana.

A participação da parceira sexual no tratamento é fundamental. Em alguns casos, é necessário tratamento complementar com um psicólogo. Previna-se. Faça atividades físicas regularmente, utilize uma dieta saudável (pobre em gordura e rica em frutas e vegetais), controle sua pressão e sua taxa de açúcar no sangue, pare de fumar, enfim, leve uma vida saudável.