Garotos devem procurar urologista desde cedo

como-lidar-com-uma-consulta-medica-decisiva

As mulheres frequentam o ginecologista desde a adolescência, pedem exames, falam de suas vidas sexuais e estão atentas a qualquer problema no aparelho reprodutor. Os homens não deveriam ir ao urologista também? Sim, e desde cedo. Quando o tema é saúde, vale o ditado: é de pequenino que se torce o pepino.

O andrologista Rodrigo Pagani, médico-assistente da Clínica Urológica do Hospital das Clínicas (HC) e professor do Instituto de Ciências da Saúde, acredita que a visita ao urologista pode começar desde a infância. “A gente sempre pensa em consultas regulares a partir dos 40 anos, mas elas devem acontecer antes disso. Recém-nascidos, por exemplo, podiam contar com esses cuidados médicos”.

O motivo é que as más formações mais comuns nos bebês se manifestam nos órgãos genitais. “Entre os problemas estão a hipospádia, que é um desvio na abertura do canal da uretra, e o testículo fora da bolsa”, alerta o médico.

O especialista, que é autor de um dos capítulos do livro de referência médica “Infertility in the Male”, lembra também que nem sempre os pediatras são capazes de identificar s doenças relacionadas aos genitais da criança.

“A segunda idade mais crítica é adolescência por causa das questões sexuais”, diz Pagani. Os garotos, diferentemente das meninas, não procuram o médico antes de iniciar a vida sexual e, dificilmente, são incentivados pelos seus pais a discutir o tema. “O médico assume um papel importante para alertar sobre doenças sexualmente transmissíveis”.

As meninas possuem, com a menstruação, um aviso claro sobre a vida sexual e a saúde. Nos garotos, não há algo tão forte. “Existe um interesse no sexo oposto, brincadeiras e a masturbação como sinais”. Poucos são os que procuram os consultórios para um check-up, apesar de razões não faltarem.

“Essa é a faixa (dos 13 aos 30 anos) em que aparece o câncer de testículo e muitos nem sabem da importância do autoexame de testículo”, explica o médico do HC. Apesar de ter uma alta taxa de cura, ele dobra de tamanho ao passar de quinze dias. “Se ele apalpar algo que não estava acostumado, algum endurecimento, então deve procurar um especialista”.

O risco de não ter um atendimento adequado nesta fase da vida é pagar o preço da infertilidade no futuro. “A varicocele, que acomete, cerca de 15% da população em geral, pode ser revertida se tratada cedo”, comenta Pagani. A varicocele é a formação de varizes nas veias do escroto, que alteram o fluxo de nutrientes e a temperatura da região, podendo causar infertilidade no indivíduo.

Os adolescentes, defende Pagani, pode procurar um profissional de confiança e com calma. “Assim como as meninas, os garotos têm o direito de primeiro conhecer o médico, para depois, se deixarem examinar”, conclui.

Fonte: Instituto André Milanezi

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s