Incontinência urinária tem tratamento.

A incontinência urinária é uma condição que afeta dramaticamente a qualidade de vida, comprometendo o bem-estar físico, emocional, psicológico e social. A incontinência urinária pode acometer indivíduos de todas as idades e de ambos os sexos.

O primeiro passo na investigação da incontinência urinária é procurar um médico e informá-lo sobre sua história médica e a forma como os sintomas afetam sua vida. Dependendo do tipo e das causas possíveis da sua incontinência, alguns dos exames  poderão ser solicitados pelo seu médico para ajudar a diagnosticar com precisão a causa da incontinência e permitir a elaboração de um plano de tratamento apropriado.

Os tratamentos podem se limitar à realização de exercícios para o fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico, ou incluir o uso de medicamento ou cirurgias, conforme a indicação para cada caso.

 

Segunda temporada do Urologia em Foco

Foi ao ar na última terça-feira (09/08) o primeiro vídeo da segunda temporada do programa Urologia em Foco, onde  apresentei  os benefícios da cirurgia por videolaparoscopia. O procedimento proporciona pouco tempo de internação para o paciente, e melhor resultado estético. Acesse e inscreva-se no nosso canal do YouTube: Drhallisoncastro

Hipospádia – Causas e tratamento

Dr_Hallison_Castro_-_Hipospádia_tem_tratamento (1)

A hipospádia é uma má formação, caracterizada pela não localização da uretra na extremidade peniana. Existem desde formas leves em que a uretra chega quase na glande, até formas graves em que o orifício da uretra se encontra no escroto ou mesmo no períneo, próximo do ânus. Uma das implicações evidentes deste problema é que a criança urina para baixo e não em linha reta, obrigando-a a fazer sua micção sentada.

Uma outra característica da hipospádia é a presença de um tecido fibroso na parte de baixo do pênis, o que provoca uma curvatura do pênis, em especial quando a criança apresenta uma ereção.

A cirurgia para hipospádia é a única forma de tratar este problema e deve ser feita entre os 6 meses e os 2 anos de idade da criança.Nesta época a criança tolera bem a cirurgia e sofre o mínimo de trauma.

Prevenir é o melhor remédio contra as DST’s

download (1)

Não é clichê. Previna-se. Use o preservativo. As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) são consideradas um problema de saúde pública. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que surgem por ano mais de 340 milhões de casos em indivíduos de 15 a 49 anos.

Os indivíduos que apresentam maior suscetibilidade para adquirir alguma DST são aqueles que apresentam múltiplos parceiros sexuais, usuários de drogas, baixas condições sócio-econômicas, não uso rotineiro de preservativo. Entretanto, qualquer indivíduo que apresentar contato sexual com alguém infectado, mesmo que uma única vez, está sob risco de contrair alguma doença. Deve-se ter cuidado com o uso de banheiro público e compartilhamento de roupa íntima, estas também podem ser fontes de infecção.

As principais ocorrências de DSTs nos consultórios médicos são: gonorreia, HPV, sífilis, hepatite B e C, AIDS, herpes genital, infecções por fungo, entre outras. A maioria delas apresenta um período de incubação (período que vai desde o contágio até a manifestação da doença) de 2 a 7 dias, entretanto pode levar até vários meses para se manifestar como é o caso do HPV.

O herpes se manifesta na forma de bolhas que evoluem para úlceras, associado à coceira e irritação local. O HPV surge na forma de verruga indolor na região do pênis. A gonorréia aparece na forma de corrimento ou secreção amarelada pelo canal da urina.

Na presença de qualquer sintoma ou lesão na região do pênis ou escroto, deve-se procurar um urologista para fazer o diagnóstico correto e iniciar o tratamento. Vale ressaltar que em alguns casos é necessário também tratar a parceira sexual. Entretanto, a medida mais importante é proteger-se usando preservativo em todas as relações sexuais. Hoje, já existem vacinas disponíveis para meninos e meninas a partir dos 9 anos de idade, que  previnem contra infecção do HPV. Portanto, cuide-se; a sua saúde é mais importante do que um simples prazer.

 

Dr. Hallison Castro, CRM 6878, é Urologista e Mestre pela Santa Casa de São Paulo, Titular da Sociedade Brasileira de Urologia e chefe da disciplina de Urologia da UERN.